top of page

Enjoos e vômitos na gravidez, afinal quando começam e por que acontecem?

Embora incômodos, a presença de enjoos e vômitos em gestações normais e de forma moderada, indicam bom prognóstico da gravidez, uma vez que há produção hormonal adequada. Esse desconforto pode ser sentido pela maioria das grávidas no primeiro trimestre e tende a desaparecer após essa fase da gestação



Durante a gestação, uma séria de alterações ocorre no organismo materno. O estômago produz mais ácido, a digestão se torna mais lenta, por exemplo. Além disso existe uma grande alteração hormonal. Acredita-se que os enjoos e vômitos tenham uma relação com os níveis do hormônio beta-hCG (o mesmo que o utilizado no teste de gravidez de sangue). Sabe-se que quanto maior o nível de bata-hCG maior a chance da ocorrência de náuseas e vômitos durante a gestação.

Vamos esclarecer para você mamães todas as dúvidas sobre esse tema!


1. É normal ter enjoo e vômitos na gravidez?


Embora incômodos, sua presença em gestações normais e de forma moderada, indicam bom prognóstico da gravidez, uma vez que há produção hormonal adequada.

Entretanto, caso a frequência dos vômitos seja muito alta, isso poderá caracterizar um problema chamado hiperêmese gravídica. A Hiperêmese gravídica é quando os vômitos se tornam tão frequentes que causam desidratação e alterações eletrolíticas. Neste caso, é importante informar o obstetra sobre este ocorrido para um tratamento adequado.


2. Em que período ocorre a maior incidência de enjoos? Eles são passageiros?


Geralmente, o enjoo é mais frequente pela manhã ou pode ocorrer várias vezes ao dia e estar associado a vômitos. Esse desconforto pode ser sentido pela maioria das grávidas no primeiro trimestre e tende a desaparecer após essa fase da gestação. No entanto, em alguns casos, o enjoo também pode durar toda a gravidez.

Assim, 50% das gestantes terão náuseas e/ou vômitos da 5ª até aproximadamente 17ª a 20ª semanas gestacionais, em alguns casos se torna persistente, mas 80 a 90% são temporários. Tudo é variável, cada organismo reage de uma forma e lembrem-se cada gestação é única, você não é comparação a nenhum outro fato ou outra mulher.


3. O que pode agravar os enjoos?


Algumas condições que podem agravar os enjoos e vômitos, como:

- Gestações múltiplas (gemelaridade);

- Alterações trofoblásticas gestacionais (uma anomalia na gravidez, como por exemplo, mola hidatiforme);

- Diabetes;

- Condições alimentares anormais;

- Açúcares refinados e doces, em excesso;

- Tomar grandes quantidades de líquidos em um só momento (o correto é fracionar);

- Comer grande quantidade de alimentos (o correto é fracionar);

- Bebidas gaseificadas;

- Café, em excesso (principalmente expresso);

- Alimentos gordurosos e com cheiros fortes;

- Jejum prolongado;

- Tabagismo;


A digestão na gestação é mais lenta, o que piora o trânsito alimentar, favorecendo azia, refluxo gastroesofágico, distensão abdominal, constipação intestinal e flatulência.


4. Como aliviar os enjoos na gravidez


· Evitar cheiros e comidas fortes ou que causem náusea: Durante a gestação, as mulheres tendem a ficar mais sensíveis a sabores e odores, por isso, evite, na medida do possível, cheiros e comidas com odores muito fortes que possam ou que já causaram náusea.

· Preferir o consumo de alimentos mais frios e menos temperados: Opte por alimentos leves, não muito temperados e em temperatura ambiente, ou frios, assim eles exalam menos cheiro e causam menos mal estar. Os alimentos frios como iogurte, gelatina, picolé de fruta ou saladas ajudam a aliviar o enjoo na gravidez, além de serem leves e de fácil digestão, pois durante a gravidez a digestão é mais lenta devido às alterações hormonais, o que pode provocar mais enjoo. Outra opção que pode ajudar a aliviar o enjoo é tomar água gelada ou chupar gelo.

· Deixar uma bolacha, lanchinho ou água com sal sempre a mão para ingerir ao acordar: Ao acordar pela manhã, ingerir algum alimento leve e aguardar uns 20 ou 30 minutos, para então se levantar da cama.

· Fazer refeições pequenas de 3 em 3 horas: O estômago vazio piora a náusea, por isso evite ficar muitas horas sem comer. Coma com intervalos curtos e regulares, nem que seja uma fruta ou uma barrinha de cereal. Evitar jejum prolongado, comer e beber de forma fracionada e pequenas porções, comer “comida de verdade” (verduras, frutas, carnes magras, ovos, sementes oleoginosas – evitar açúcares e farináceos), cuidar/evitar com pimentas, frituras e alimentos industrializados. Dar preferência para bebidas frias, assim como carboidratos de fácil digestão para garantir fontes rápidas de energia.

· Incluir gengibre na alimentação: Comer um pedacinho de gengibre ou chupar balas de gengibre ajuda na hora da digestão, diminuindo a irritação da parede do estômago.

· Manter-se hidratada: Água é sempre o melhor remédio! Beba água de tempo em tempo, mas evite beber líquidos durante as refeições. É importante tomar pelo menos 2 litros de água por dia, mas algumas mulheres podem apresentar náusea ao tomar água e, assim, pode-se adicionar à água uma rodela de limão ou raspas de gengibre, por exemplo.

· Consumir suco de frutas como banana, melancia, abacaxi ou limão, chás como chá de gengibre ou de hortelã, água de coco ou água com gás também podem ajudar a aliviar o enjoo. Uma boa opção para consumir líquidos e aliviar o enjoo é fazer um suco de banana com limão e água de coco

· Praticar exercícios de acordo com a indicação médica: Se movimentar é sempre bom, colaborando com a qualidade de vida e o bem estar. E isso não seria diferente durante a gestação. Mas vale lembrar que é importante consultar o seu médico

· Cheirar limão ou chupar um picolé de limão: O limão pode ajudar a amenizar a náusea. Por isso, uma dica é tomar chá gelado com limão, colocar rodelas de limão na água com gás, chupar um picolé ou, até cheirar o limão ou o óleo essencial de limão para ajudar a reduzir o desconforto.


Confira no link abaixo todo o enxoval para o seu bebê


https://www.filobaby.com.br


19 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page